Pular para o conteúdo
Voltar

Políticas públicas para a capoeira são discutidas durante luau de vivências

Secretário da Secel, Allan Kardec, recebeu as demandas levadas pelo Fórum Permanente da Capoeira
Cida Rodrigues | Secel - MT

- Foto por: João Felipe - Secel/MT
A | A

A Casa Cuiabana foi palco de um encontro inédito entre o Fórum Permanente da Capoeira de Mato Grosso e a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) na noite da última sexta, 14. Durante o luau “Vivências da Capoeira”, o secretário da Secel, Allan Kardec, recebeu as demandas levadas por mestres de capoeira que representam o Fórum.

O diálogo foi considerado um grande avanço na trajetória da prática capoeirista por ter sido a primeira vez que o órgão se coloca à disposição para ouvir o setor. 

Dentre as reivindicações, a entidade citou a necessidade de um edital que atenda a capoeira, de encontros e centros de formação e de inclusão do esporte em atividades desenvolvidas  pela Secretaria e potenciais parceiros.

“Vamos fazer o possível para incluir a capoeira nas políticas públicas do Estado, pois precisamos valorizar a identidade e as manifestações culturais do povo afro-descendente. Além disso, a capoeira é um tema transversal, que envolve cultura, esporte e lazer, e que representa também parte importante da história mato-grossense”, expõe Allan Kardec, secretário da Secel.

O secretário também lembrou sobre a possibilidade dos representantes da capoeira se organizarem para que possam garantir vagas em Conselhos que contribuam e acompanham o cumprimento das diretrizes e desenvolvimento de políticas públicas, como o  Conselho Estadual do Desporto do Estado de Mato Grosso (CONSED) e o Conselho Estadual de Cultura.

O evento

O luau “Vivências da Capoeira” celebrou a trajetória da capoeira em Mato Grosso foi realizado na Casa Cuiabana, na noite de 14 de junho.

O evento reuniu mestres de capoeiras apontados no livro “Capoeira: da senzala à imaterialidade. As vivências dos mestres e a história da capoeira em Mato Grosso”, da historiadora e professora Adinéia Leme.  

Na programação houve também sessão de venda e autógrafo do livro e rodas de capoeira manifestando toda a musicalidade da arte marcial brasileira determinante para a valorização da identidade e das manifestações culturais do povo afro-descendente.