Pular para o conteúdo
Voltar

Secretaria de Cultura e Instituto TIM firmam parceria para mapear a cultura em Mato Grosso

A ferramenta possibilita o mapeamento e a gestão de informações culturais para a criação de políticas públicas
Assessoria | SEC-MT

Dança do Congo em Vila Bela da Santíssima Trindade - Foto por: José Medeiros/Gcom-MT
Dança do Congo em Vila Bela da Santíssima Trindade
A | A

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) lança neste sábado (19), em Vila Bela da Santíssima Trindade, durante a mudança simbólica do governo para aquele município, a ferramenta Cultura MT, instalação do software livre Mapas Culturais, desenvolvida pelo Instituto TIM, que permite o mapeamento colaborativo de ações, agentes, projetos e espaços culturais. Com a ferramenta, o governo poderá aprimorar, de forma significativa, a gestão da cultura em Mato Grosso, já que terá uma radiografia das iniciativas culturais no estado.

Museus, espetáculos, shows, exposições, apresentações musicais, fotógrafos, grafiteiros, produtores, músicos, artistas plásticos, companhias teatrais, tudo é mapeado. A ferramenta é colaborativa e pode ser alimentada tanto pelo poder público – com a inclusão de informações sobre equipamentos culturais, programações oficiais, editais etc – quanto pela população em geral, que se cadastra como agente de cultura (individual ou coletivo).  O conteúdo pode ser desdobrado em aplicativos para smartphones e portais, facilitando ainda mais a interação com toda a sociedade.

“O Mapas Culturais é um software livre para mapeamento colaborativo da cultura, desenvolvido pelo Instituto TIM, que vem sendo adotado por estados e municípios em todo o Brasil. Foi também escolhido pelo Ministério da Cultura como a plataforma para a construção de um sistema de indicadores e informação do setor. Ele interessa tanto ao público em geral, consumidor de cultura, que poderá buscar por espetáculos e opções culturais a partir do seu celular, como também aos profissionais da cultura, que encontrarão nele uma forma de promover seu trabalho. É ainda uma ferramenta de promoção dos municípios e dos atrativos turísticos oferecidos, com acurado sistema de georreferenciamento. Esta plataforma nos permitirá, em curto espaço de tempo, um real mapeamento da cultura em Mato Grosso”, afirma o secretário de Estado de Cultura, Leandro Carvalho.

Para o presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio, é muito gratificante ver a ferramenta chegar a mais um estado. “Recentemente, também fechamos importante parceria com o Ministério da Cultura e a plataforma foi adotada pelo Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), o que dará ao projeto um alcance nacional”, afirmou.

A ferramenta Mapas Culturais foi criada pelo Instituto TIM em parceria com a Secretaria de Cultura do Município de São Paulo, a primeira a adotar a plataforma (nomeada de SP Cultura). Atualmente, a ferramenta também está em operação nos estados do Ceará (Mapa Cultural do Ceará), Rio Grande do Sul (Cultura RS) e Tocantins (Mapa Cultural do Tocantins), e nos municípios de Sobral -CE (Sobral Cultura), Blumenau-SC (Blumenau Mais Cultura), João Pessoa (JP Cultura), São José dos Campos-SP (Lugares da Cultura) e Santo André (Cultura AZ).

Sobre o Instituto TIM

Fundado em 2013, o Instituto TIM (http://www.institutotim.org.br) tem como missão criar e potencializar recursos e estratégias para a democratização da ciência, tecnologia e inovação, promovendo o desenvolvimento humano, utilizando a tecnologia móvel como um dos principais habilitadores. Possui quatro pilares que definem sua atuação: Ensino, que tem como foco a educação em ciências e matemática; Aplicações, com o objetivo de desenvolver novas soluções tecnológicas; Inclusão, com a difusão do conhecimento de tecnologias de informação e de comunicação; e Trabalho, criando novas formas de atuação por meio do conhecimento tecnológico. Todas as soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Instituto TIM são livres. Os projetos do Instituto TIM já envolveram cerca de 300 mil pessoas em todo o país.