Pular para o conteúdo
Voltar

Grupos contemplados pelo Circula MT estão na programação

O Comadança e a Cia de Teatro Faces estão na programação do evento, deste sábado, que celebra aniversário de Mato Grosso.
Assessoria | SEC-MT

Espetáculo de dança contemporânea do grupo Comadança - Foto por: Assessoria
Espetáculo de dança contemporânea do grupo Comadança
A | A

A primeira edição do Vem Pra Arena deste ano traz, entre os destaques da programação, dois grupos contemplados pelo edital de incentivo à produção, difusão e descentralização do acesso à cultura, o Circula MT. O Comadança e a Cia. de Teatro Faces, na sequência, dão início à programação, a partir das 17 horas.

A plateia terá acesso a espetáculos que não previam a Capital como cronograma de circulação.Oportunidade para conferir as produções artísticas que reúnem artes cênicas, no campo da dança contemporânea e do teatro.

O Comadança participa com Symbolon. Fruto de intensa pesquisa do habitat dos tuiuiús, exalta a iconografia mato-grossense, com sua fauna e sonoridade expressados por uma trilha sonora marcada pela pluralidade: tem rasqueado, siriri, música erudita e eletrônica. Cada uma das músicas escolhidas ritma os movimentos que vão da leveza à agitação destes pássaros.

Uma imersão na natureza em que o corpo se confunde a ela e os movimentos corporais a representam de modo orgânico. De acordo com o diretor da companhia, Clodoaldo Arruda, o espetáculo apresentado em espaço aberto, se apropria de várias linguagens artísticas, tais quais a dança, teatro, intervenção urbana e land art.

“São recursos para exalar reflexões e possíveis questionamentos sobre quais são as importâncias diante de uma aceleração progressiva, mais com demandas ainda gritantes”, explica, sobre as questões relativas à consciência ambiental também levantadas na obra.

Em “Boé – Nos Tempos do Garimpo”, a Cia de Teatro Faces investe no existencialismo para tratar da morte. Baseados em pesquisas sobre o ritual fúnebre bororo, os atores do Teatro Faces apostam numa dramaturgia da morte.

De acordo com o diretor do Grupo de Primavera do Leste, Darci Souza Junior, o espetáculo explora a relação do indivíduo dentro de sua interação com a morte. “Boé caminha entre a tradição e o novo num mundo de interferências e desencontros onde uma alma, já sem corpo, deve encontrar seu lugar”, explica.

Segundo ele, a construção do espetáculo deu-se por meio de processos colaborativos de criação baseada em pesquisa antropológica de como as sociedades se relacionam com as perdas e como ritualizam suas mortes. “É como se todo o ritual representasse um estudo pronto de ator, que busca no empirismo sua maneira de dizer. Nele acontece todo o ritual fúnebre bororo. As interrelações entre a vida e a morte são mostradas através da movimentação simbólica entre o ideal indígena e a intervenção urbana”.

Cultura regional

As artes cênicas serão contempladas também com manifestações marcantes da cultura regional, como o Congo de Nossa Senhora de Livramento.

Os humoristas Totó Bodega e Comadre Pitú são os apresentadores desta primeira edição que conta ainda com três projetos voltados à literatura – Inclusão Literária, do produtor Clovis Mattos; a Biblioteca Estadual Estevão de Mendonça Itinerante e uma feira literária.

No palco

As apresentações no palco começam a partir das 18h, com o grupo de siriri Cuiabaninhos Franciscanos, seguido do grupo vocal Alma de Gato. Composto por Gilberto Nasser, Jefferson Valle, Kael Nasser e Matheus Felipe e regido por Jefferson Neves, o quarteto de vozes masculinas surgiu em 2004. O repertório vai do clássico erudito ao popular, passando pelo rock, pop internacional, MPB, samba, serestas e a música regional, com destaque para o rasqueado cuiabano.

Em homenagem ao centenário do poeta cuiabano Manoel de Barros, celebrado em 2016, esta edição do Vem Pra Arena traz o cantor, compositor e instrumentista Márcio de Camillo. Movido por uma grande admiração pela obra do escritor mato-grossense, ele mergulhou no universo do autor e gravou o elogiado CD Crianceiras, projeto educativo no qual os poemas e versos de Manoel ganharam interpretação musical inédita para o público infantil. Além de tocar e cantar, durante a apresentação Márcio de Camillo contracena com imagens transmitidas em um telão, uma atração à parte neste show.

Vencedora do Festival de Quadrilhas do Vale do Araguaia no ano passado, a quadrilha Balancê do Cerrado, de Nova Xavantina, sobe ao palco para mostrar toda a tradição daquela região. Realizadas há cerca de 15 anos, as competições de quadrilhas mantém viva a cultura local enraizada nas comunidades e já fazem parte do calendário cultural de Mato Grosso.

O trio Pescuma, Henrique e Claudinho traz para esta primeira edição do Vem Pra Arena a música regional, em especial o rasqueado cuiabano, do qual são legítimos representantes. E para encerrar a noite, Felipe & Ferrari embalam o público com o melhor do sertanejo. Entre as canções mais conhecidas da dupla está “A carta de Larissa”, cantada em forma de história e cujo clipe superou 5 milhões de acessos no YouTube. Vale ressaltar que o acesso à Arena Pantanal é gratuito.

Serviço

Sábado  07/05

Intervenções Artísticas (a partir das 17h)

Comadança – Dança Contemporânea
Teatro Faces (Primavera do Leste)
Congo (Livramento)
Totó Bodega e Comadre Pitu
Inclusão Literária
Biblioteca Itinerante Estevão de Mendonça
Feira Literária
Feira de Artesanato
Feira Gastronômica

Palco (a partir das 18h)

18:00 - Grupo de Siriri Cuiabaninhos Franciscanos
18:30 - Alma de Gato
19:00 - CTG Pousada do Sul (Querência)
20:00 - Marcio de Camilo (MS) – Homenagem a Manoel de Barros
21:00 - Quadrilha Balancê do Cerrado (Nova Xavantina)
21:40 - Pescuma, Henrique e Claudinho
22:30 - Felipe e Ferrari