Pular para o conteúdo
Voltar

Projetos contemplados no edital serão lançados nesta quinta-feira (07)

Assessoria | SEC-MT

O Pop Pop Recicla é um jogo digital educativo que busca despertar a consciência ambiental nas crianças - Foto por: Divulgação
O Pop Pop Recicla é um jogo digital educativo que busca despertar a consciência ambiental nas crianças
A | A

O espaço Magnólia, na Rua 24 de Outubro, centro de Cuiabá, recebe os projetos contemplados pelo Prêmio MT Criativo 2015 que serão lançados nesta quinta-feira (07.07), a partir das 18h30. As iniciativas são focadas em criatividade e contemplam as áreas de tecnologia, comunicação e design, e foram apoiadas pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

São ao todo sete projetos: Criatividade em Pauta, cursos de capacitação Arte em Buriti, Eco Música no Museu, site de financiamento coletivo Toztão, plataforma de cinema Kinin, game Pop Pop Recicla e o núcleo de mídias livres Representa.

O prêmio MT Criativo, lançado em agosto do ano passado, tem o objetivo de fomentar negócios ligados à cadeia da economia criativa com o intuito de identificar, desenvolver e fortalecer os segmentos e territórios criativos de empreendedores culturais de Mato Grosso.

Segundo Rafael Mazeto, coordenador de Economia Criativa da Secretaria de Estado de Cultura, o edital é uma das formas de fomento direto para que os negócios criativos se desenvolvam em Mato Grosso.

“O objetivo deste prêmio é fazer com que o projeto se transforme em negócio criativo autossustentável, contribuindo para o desenvolvimento desse novo segmento da economia que são os negócios criativos. Pela sua essência eles possuem valores agregados em seus produtos e serviços, mas têm como principal ingrediente a criatividade”, ressalta.

No ano passado o prêmio contemplou nove projetos com R$ 30 mil para a implementação de negócios com foco nas áreas de tecnologia, design e comunicação e um projeto no valor de R$ 50 mil para a realização de uma feira de economia criativa.

O criador da plataforma Kinin, Sernon Nonres, explica que ela é um canal de streaming de vídeo que surge como alternativa para distribuição de obras audiovisuais independentes. “A plataforma é voltada para o público consumidor de filmes brasileiros independentes que não consegue ver ou rever esses filmes que, geralmente, só são exibidos em festivais de cinema. A plataforma é 100% gratuita e o usuário pode ver, rever e compartilhar os filmes nas redes sociais por meio do site”, destaca.

Silvair Frazão, também contemplado no edital, desenvolveu o game Pop Pop Recicla, um jogo digital educativo que aborda a classificação de resíduos sólidos passando pelos principais pontos turísticos de Mato Grosso. O objetivo, segundo ele, é reforçar a necessidade de evitar o descarte dos resíduos sólidos na natureza e despertar a consciência ambiental nas crianças.

O site Criatividade em Pauta é o primeiro com foco em informações sobre empreendedorismo criativo e inovação em Mato Grosso, abordando desde arte, arquitetura e design até tecnologia. Criado pela jornalista Karina Arruda, ele traz, além de agenda cultural, reportagens, artigos e ideias inovadoras da economia criativa. “O site surgiu para cobrir uma lacuna de conteúdo em Cuiabá, trazendo assuntos de interesse desse público consumidor e criador da economia criativa”, diz a jornalista.

Toztão é o primeiro site de financiamento coletivo de região, o chamado crowdfunding. É também o primeiro site do gênero a aceitar pagamento com a moeda virtual bitcoin.

O Arte em Buriti foi desenvolvido em Chapada dos Guimarães e capacitou diversas pessoas a criarem diversos produtos de design utilizando essa planta.

Já o Núcleo de Mídias Livres Representa está no ar desde 2013 e é um Programa de rádio e TV com programação cultural, educativa, informativa, artística e inovadora. Tem como proposta valorizar, interagir e conectar as iniciativas de movimentos sociais, artistas, lideranças e ativistas das comunidades, as ações, projetos e atitudes simples e criativas que tem transformado o dia-a-dia nas periferias.

O projeto Ecomúsica no Museu visa desenvolver instrumentos musicais a partir da confecção artesanal com a utilização de materiais recicláveis e, a partir dos conhecimentos adquiridos nesse processo, realizar um curso de formação voltado para pessoas atuantes nos setores criativos.

De acordo com Lilian Bazzi, a ideia surgiu porque “a sociedade precisa repensar e recriar seus modos de produção para formas sustentáveis e eficientes”. O projeto será tocado pela Associação Cultural Cena Onze, tendo em sua equipe de trabalho os músicos Josué Carvalho e Paulo César Teixeira. As oficinas serão realizadas no Museu Histórico de Mato Grosso e têm previsão de início para agosto.