Pular para o conteúdo
Voltar

Cuiabá recebe a exposição Santos-Dumont na Coleção Brasiliana, do Itaú Cultural, no segundo semestre

Angélica Moraes | SEC-MT

Exposição traz obras que remontam a trajetória de Santos-Dumont, incluindo documentos e fotos. - Foto por: Divulgação Itaú Cultural
Exposição traz obras que remontam a trajetória de Santos-Dumont, incluindo documentos e fotos.
A | A

Cuiabá será a primeira cidade a receber a itinerância da exposição Santos-Dumont na Coleção Brasiliana, do Itaú Cultural. A parceria entre o Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e o Itaú Cultural foi assinada na última semana, em São Paulo, pelo secretário de Cultura, Leandro Carvalho e Eduardo Saron, diretor superintendente da instituição.

A exposição deve chegar à capital mato-grossense no segundo semestre deste ano, depois da 32ª Bienal de São Paulo. O Palácio da Instrução irá receber as obras que remontam a trajetória de Santos-Dumont, incluindo objetos, documentos, fotos e até mesmo uma réplica em tamanho real do aeroplano Demoiselle, suspenso no ar.

Aberta em São Paulo em 26 de novembro de 2016, ano em que se completaram 110 anos do primeiro vôo do 14-Bis, a mostra ficou em cartaz até janeiro deste ano e reforça a proposta do instituto de democratizar o acesso à Coleção Brasiliana Itaú, que conta com objetos, documentos e fotos originais do brasileiro que se dedicou à inovação, ao design e à ciência.

A exposição leva o visitante a uma viagem por diversos lugares e momentos que fizeram parte da história do inventor, como a fazenda Cabangu, onde nasceu, e a Belle Époque francesa, em que conquistou sua fama internaciional.

Há ainda imagens que resgatam os balões, dirigíveis e aeroplanos, bem como uma reprodução de sua biblioteca, com publicações que o inspiraram, além de algumas de sua autoria.

A coleção conta com grande quantidade de jornais. Isso se dá por um costume de Santos-Dumont – para não perder nada do que era publicado sobre ele e suas invenções mundo afora, contratou pelo menos quatro empresas especializadas em rastrear jornais. Assim, toda vez que seu nome era mencionado, recebia um recorte da reportagem. Apesar de muitos deles estarem em francês, é possível ler os textos traduzidos, junto aos originais.

Completam o acervo que será mostrado ao público os bilhetes postais, uma febre do início do século XX, estampados com fotografias do aviador. Neles é possível ver Santos-Dumont com alguns de seus inventos.