Pular para o conteúdo
Voltar

Artista Bené Fonteles participa de uma série de ações dentro da programação pública

Inscrições gratuitas já estão abertas para as atividades que acontecem a partir do dia 30 de maio
Angélica Moraes | SEC-MT

Bené Fonteles é artista plástico, jornalista, editor, escritor, poeta e compositor - Foto por: Fundação Bienal de São Paulo
Bené Fonteles é artista plástico, jornalista, editor, escritor, poeta e compositor
A | A

O artista Bené Fonteles é um dos selecionados para ativar a programação pública da mostra itinerante da 32ª Bienal de São Paulo em Cuiabá entre os dias 30 de maio e 02 de junho. A participação inicia com a projeção do catálogo virtual da Ágora: OcaTaperaTerreiro, obra do artista para a 32ª Bienal, e tem sequência com uma série de debates. Todas as ações têm entrada gratuita e estão com inscrições abertas.

A projeção traz para o público local o que foram as ativações propostas por Fonteles durante os três meses de duração da Bienal em São Paulo. Essa atividade acontece no dia 30 de maio, das 19h às 21h, no Centro Cultural da UFMT.

Na ocasião, Bené convidou para estas ativações artistas de várias linguagens, ecologistas, indigenistas e indígenas, antropólogos, educadores, escritores, cineastas, ativistas e artivistas. Foram realizadas conversas com o público da 32ª Bienal dentro da OcaTaperaTerreiro, concebida como um terreiro da arte e do sagrado para celebrar e curar a doida “alma da nação brasileira” nos momentos desafiantes por que passa.

As demais atividades conjuntas propostas por Bené Fonteles para o público de Cuiabá pretendem gerar perguntas e reflexões sobre o que fazermos para adiar esta grande utopia de um fim do mundo - ideia que, se não concreta, a cada década mais presente sobre as qualidades de vida e dos seres.

O primeiro dos três encontros mediados por Fonteles será na quarta-feira (31.05), das 19h às 21h, no Centro Cultural da UFMT e tem como tema Arte aqui é mato: poéticas e querelas da arte em Mato Grosso. Participam deste encontro o artista Gervane de Paula e a crítica de arte Aline Figueiredo.

No dia 01 de junho, das 19h às 21h, também no Centro Cultural da UFMT, acontece o debate Narrativas pela fluência das águas: artistas e viajantes em Mato Grosso, com a historiadora Maria de Fátima Gomes Costa e o historiador Serafim Bertoloto.

Já no dia 02 de junho o encontro tem como tema Ser e não ter – A terra devastada: questões indígenas e ambientais em Mato Grosso, com a indígena e comunicóloga Naine Terena e outras lideranças indígenas do estado, além do historiador e indigenista Elias Bigio e o ambientalista Sérgio Guimarães. Será das 19h às 21h no auditório do Museu Rondon na UFMT.

O artista

Bené Fonteles é artista plástico, jornalista, editor, escritor, poeta e compositor. Iniciou sua carreira em 1971, expondo no 3º Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará. Em Fortaleza, trabalhou como jornalista. Durante as décadas de 1970 e 1980, integrou anualmente diversas exposições coletivas, nacionais e internacionais, ligadas à arte postal e a pesquisas de novos meios de expressão. Nesse período, participou de quatro edições da Bienal Internacional de São Paulo (1973, 1975, 1977 e 1981). Realizou, ainda, a partir de 1974, diversas mostras individuais, no Brasil e no exterior.

Entre 1983 e 1986 dirigiu o Museu de Arte e de Cultura Popular (MACP) da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Na década de 1980, envolveu-se em projetos e movimentos voltados à preservação ecológica, procurando uni-los à criação artística. Em 1991, mudou-se para Brasília, onde manteve atuação como ativista ecológico e organizador de eventos artísticos.

Entre os livros que publicou destacam-se O Livro do Ser (1994) e O Artista da Luz (2001), sobre Rubem Valentim. Seu trabalho como compositor está reunido no CD Benditos, lançado em 2003, que agrupa três trabalhos anteriores, Bendito (1983), Silencioso (1989) e Aê (1991). Em 2003, recebeu da Presidência da República a comenda Ordem do Mérito Cultural.

Itinerâncias Cuiabá

A 32ª Bienal de São Paulo – Itinerâncias: Cuiabá fica em cartaz no Palácio da Instrução até o dia 09 de julho e traz obras de Ana Mazzei (Brasil), Bárbara Wagner (Brasil), Carolina Caycedo (Colômbia), Charlotte Johannesson (Suécia), Dalton Paula (Brasil), Ebony G. Patterson (Jamaica), Felipe Mujica (Chile), Francis Alÿs (Bélgica), Gilvan Samico (Brasil), Gu¨nes¸ Terkol (Turquia), Jonathas de Andrade (Brasil), Mmakgabo Helen Sebidi (África do Sul), Pierre Huyghe (França), Rachel Rose (Estados Unidos), Vídeo nas Aldeias (Brasil), Wilma Martins (Brasil) e  Wlademir Dias-Pino (Brasil). O evento renova a parceria institucional entre a Fundação Bienal de São Paulo e a Secretaria de Estado de Cultura - SEC (Cuiabá-MT). 

Intitulada Incerteza Viva (Live Uncertainty), a 32a Bienal tem como eixo central a noção de incerteza a fim de refletir sobre atuais condições da vida em tempos de mudança contínua e sobre as estratégias oferecidas pela arte contemporânea para acolher ou habitar incertezas. A exposição se propõe a traçar pensamentos cosmológicos, inteligência ambiental e coletiva assim como ecologias naturais e sistêmicas. A mostra foi concebida em torno das obras de 81 artistas e coletivos sob curadoria de Jochen Volz e dos cocuradores Gabi Ngcobo (África do Sul), Júlia Rebouças (Brasil), Lars Bang Larsen (Dinamarca) e Sofía Olascoaga (México).

Serviço

32ª Bienal - Itinerâncias: Cuiabá

16 de maio a 9 de julho

Palácio da Instrução na rua Antônio Maria, 251 - Praça da República, Centro Norte - Cuiabá - MT

ter-sex: 8h-20h; sáb, dom e feriados: 9h-18h

T: (65) 3613-0240

Email 32bienalmt@cultura.mt.gov.br

Entrada Gratuita

Agendamento Escolar

seg-sex: 13h - 19h (máximo de 40 alunos por escola)

Contatos: 32bienalmt@cultura.mt.gov.br

Telefone: (65) 3613 9240

Em caso de cancelamento, avisar com no mínimo 48 horas de antecedência