Pular para o conteúdo
Voltar

Casa Silva Freire inicia atividades com programação que contempla artes e literatura

Inauguração será nesta quarta-feira (20) em escola que leva o nome do poeta, em Cuiabá
Assessoria | SEC-MT/Casa Silva Freire

A programação busca enriquecer o repertório de crianças e adultos e despertar a arte pela educação - Foto por: Divulgação
A programação busca enriquecer o repertório de crianças e adultos e despertar a arte pela educação
A | A

Era uma vez um menino que quis degustar e falar sobre as palavras silenciadas. Seu nome? Bugrinho ou, como mais tarde ficou conhecido, poeta Benedito Sant’anna da Silva Freire. Quando ainda menino, ele não olhava a vida cotidiana com olhos de passagem. Eram olhos de análise, de questionamentos de tudo que era servido aos seus olhos nas ruas do Largo da Mandioca, onde morava.

Olhando ao redor foi que viu que as palavras tinham vida e andavam pela cidade, mas estavam mudas, faltava a elas um arauto, alguém para contar sobre elas congelando seu tempo e revelando-as às gerações futuras. E assim fez crescer dentro dele a ideia de fazer uma maçaroca com esse charivari (modo como ele definia o sentimento de sentir o ser cuiabano) todo que encantava os olhos. Infelizmente, o relato dessas sensações teve que parar com o fim da vida do poeta, mas seu legado tem dado mais frutos do que os cajueiros de setembro.

A “tchuva” desses cajus de conhecimento acontece nesta quarta-feira (20), a partir das 7h, na escola municipal que leva seu nome, no bairro Itapajé, e se traduz no lançamento da primeira ação do Ponto de Cultura Casa Silva Freire como inspiração para novos bugrinhos de olhares singulares. A ação é possível após seleção da entidade em edital da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e Ministério da Cultura (MinC).

Na mesma data a programação composta por oficinas chamadas de “Ideias Pipocas – Arte e Literatura”, também comemora 20 anos da Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Silva Freire, nome de patrono escolhido pela própria comunidade escolar. De acordo com a diretora da Casa de Cultura Silva Freire, Larissa Spinelli, as oficinas visam contribuir para a implementação do Projeto Político Pedagógico no eixo “Artes como propulsora do currículo” e para o fortalecimento da Proposta Pedagógica intitulada “Bugrinho, Rondon e nós: sonho que se sonha junto desde Mimoso”.

As oficinas colaboram para que a escola se transforme em um espaço de múltiplas narrativas, de experimentação e fruição estética, enriquecendo o repertório das crianças e adultos, que apresentarão suas produções na 3ª edição do Arte e Cultura na Mandioca, evento também promovido pela CCSF junto com a Bendito Mercado Ateliê e o Gran Bazar PAC no dia 9 de dezembro.

As oficinas foram pensadas juntamente com o corpo escolar da Emeb que já desenvolve esse trabalho em conjunto com o Grupo de Pesquisa em Psicologia da Infância (GPPIN/Instituto de Educação) da UFMT há alguns anos. E como este processo do grupo e Emeb casa com o objetivo da Casa de Cultura SF, nada mais justo, que o início da ação do Ponto de Cultura começasse por lá. O trabalho com a UFMT por meio do GPPIN consiste na articulação entre a Proposta Pedagógica da escola e a proposta das oficinas e também aplicação de questionário e realização de entrevistas com as crianças, professores, funcionários e comunidade. Nas oficinas tudo é ligado ao universo silvafreireano na expectativa que despertar a arte pela educação como uma troca entre a realidade e a criatividade infantil frente ao que assiste em sua rotina diária, conforme os organizadores.

A primeira ação do Ponto de Cultura Silva Freire divide-se em dois momentos, sendo um nesta quarta-feira e outro no próximo sábado (23).

Programação

Quarta-feira (20)

7h - Abertura

7h10 - Biografia de Silva Freire (versão crianças)

7h15 - Poema

7h20 - Apresentação musical

7h25 - Encaminhamento para as oficinas

9h - Intervalo

11h - Encerramento das oficinas

Almoço

13h - Abertura

13h10 - Biografia de Silva Freire (versão crianças)

13h15 - Poema

13h20 - Apresentação musical

13h25 - Encaminhamento para as oficinas

15h - Intervalo

17h - Encerramento das oficinas

Programação Oficinas dias 20 e 23

Local: EMEB Silva Freire

Oficinas Ideias pipocas – arte e literatura

Oficina 1: Quebra-cabeça de Bugrinho

Horário: 7h às 11h e 13h às 17h

Para quem: Crianças de 04 a 05 anos da Educação Infantil

O que será feito: Quebra-cabeças gigantes inspirados nas imagens da narrativa “Bugrinho que Menino é esse?”.  A oficina será ministrada por professores da Emeb Silva Freire.

Oficina 2: Teatro “Bugrinho, Rondon e Nós”

Horário: 7h às 11h e 13h às 17h

Para quem: Crianças de 06 anos do 1º ano do Ensino Fundamental

O que será feito: Cenários e figurinos para apresentação teatral a partir de trechos escolhidos da narrativa “Bugrinho, Rondon e nós: sonho que se sonha junto desde Mimoso”. A oficina será ministrada por professores da Emeb Silva Freire.

Oficina 3: Criação musical – Desvendando Sons na poesia de Silva Freire

Horário: 7h às 11h e 13h às 17h

Para quem: Crianças de 07 anos do 2º ano do Ensino Fundamental

O que será feito: vivência musical através de experimentações inspiradas no poema “Rondon: Silêncio Orgânico de Flores”, do poeta Silva Freire. A oficina será ministrada pelos artistas Estela Ceregatti e John Stuart do Projeto Ponto de Cultura Casa Silva Freire.

Oficina 4: Produção de Jornal e entrevistas

Horário: 7h às 11h e 13h às 17h

Para quem: Crianças de 08 anos do 3º ano do Ensino Fundamental

O que será feito: entrevistas e confecção de jornais sendo as crianças entrevistadores e entrevistados. A oficina será ministrada por professores da Emeb Silva Freire.

Oficina 5: O olhar audiovisual na poesia de Silva Freire

Horário: 7h às 11h

Para quem: Adultos da comunidade

O que faremos: experimentações audiovisuais com criação e captação de imagens inspiradas no poema “Rondon: Silêncio Orgânico de Flores”. A oficina será ministrada pelas cineastas Juliana Segóvia e Neriely Dantas, do Projeto Ponto de Cultura Casa Silva Freire.