Pular para o conteúdo
Voltar

Compositor britânico participa de residência internacional em Mato Grosso

Artista sonoro, compositor e cantor folk, Nathaniel Mann, vai trabalhar com o povo indígena Wauja, do Xingu
Sec-MT

Phantom Chips, Lady Vendredi e Nathaniel Mann são os primeiros compositores britânicos a participar da nova residência internacional. - Foto por: Divulgação
Phantom Chips, Lady Vendredi e Nathaniel Mann são os primeiros compositores britânicos a participar da nova residência internacional.
A | A

O British Council e PRS Foundation anunciam a edição do programa Musicians in Residence/ Músicos em Residência no Brasil, de novembro de 2017 a março de 2018. Três compositores britânicos passarão um mês em uma região diferente do país, imersos em uma residência artística que lhes dará a oportunidade de criar um novo trabalho, construir redes com artistas locais, alcançar novas audiências e explorar diferentes influências culturais.

Cada um deles enviou planos para um resultado criativo da residência que será moldada através das experiências e colaborações que formarão no Brasil. As três cidades sede em 2018 são Rio de Janeiro, Recife e Mato Grosso, para onde virá o artista sonoro, compositor e cantor folk, Nathaniel Mann, cujos trabalhos incorporam performances em locais específicos, intervenções e instalações.

O trabalho eletroacústico de Nathaniel costuma incorporar difusão de multicanais, incluindo Ambisonics. Ele irá trabalhar com a Orquestra do Estado do Mato Grosso, Instituto Homem Brasileiro e a tribo Wauja, do Xingu, onde a música é parte integral da sociedade e cultura. A Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT) é parceira nessa iniciativa.

”Será um privilégio extraordinário me engajar com as diversas culturas e histórias musicais do Brasil e, especificamente, as da comunidade wauja, do Xingu, em Mato Grosso. Espero estabelecer um diálogo musical que venha a amplificar as vozes da comunidade wauja e, eventualmente, ampliar esse diálogo para atingir audiências completamente novas. Os trabalhos que criarmos irá explorar a interligação dos ritos tradicionais, música e o ambiente natural, explorando a tradição musical wauja, assim como a britânica, ambas entrelaçadas com temas contemporâneos mais urgentes”.

Phantom Chips (Tara Pattenden) irá colaborar com o Festival Novas Frequências, principal evento internacional de música experimental e explorações do som na América Latina, durante sua estadia no Rio de Janeiro. Residente em Glasgow, na Escócia, Phantom Chips cria sintetizadores “usáveis” que podem ser esticados e comprimidos para criar sons, combinando ritmos a partir de uma vasta gama de instrumentos eletrônicos caseiros, samplers e outros objetos sonoros.

Lady Vendredi (Nwando Ebizie) irá para Recife e ficará em contato direto com o Paço do Frevo, que pesquisa e apresenta os ritmos tradicionais do Nordeste como o frego e o maracatu. Nwando Ebizie é artista, musicista, podutora DJ e dançarina de performance experimental, cujo trabalho procura quebrar barreiras, incorporando seu conhecimento do piano clássico, a produção de música eletrônica (British Academy of New Music), circo, artes aéreas (Circomedia) e várias formas de dança.

“Que trio fantástico de músicos para iniciar o programa MIR Brasil. Estou ansiosa para ver essas residências tomarem forma e ouvir a música que irá surgir a partir delas”, disse Cathy Graham, diretora musical do British Council. “Uma maneira fabulosa de entender outra parte do mundo é através de sua música e o Brasil oferece uma grande e maravilhosa variedade que poderemos descobrir através das residências de nossos músicos. Desde a herança rica e festiva do carnaval de Recife à cena experimental underground do Rio de Janeiro, passando pela música das comunidades indígenas do Xingu, haverá muito o que desfrutar durante os próximos meses. Por sua vez, cada residência levará sua própria marca da música do Reino Unido para a América do Sul, de modo que certamente haverá colaborações fascinantes”, completou.

O programa Musicians in Reseidence foi lançado pelo British Council e PRS Foundations em setembro de 2011, na China, com a participação dos artistas Gareth Bonello, Imogen Heap, Jamie Woone, Matthew Bourne. Em 2014, o MIR levou Oliver Coates, Sam Genders, Arun Ghosh, Anna Meredith e Sid Peacock novamente à China; e de janeiro a março de 2016, Mira Calix, Kerry Andrew e Bella Hardy foram os participantes. David Lyttle, Emmy the Great e Quinta foram os músicos mais recentes a passarem uma temporada na China com a participação de Sarathy Korwar na edição Musician in Residence, nos Emirados Árabes.

As residências trouxeram resultados diversos e importantes. Imogen Heap incluiu a faixa XiZi She Knows, composta durante sua estadia em Hangzhou, em seu álbum Sparks, de 2014. Em 2013 Gareth Bonello lançou o álbum Y Bardd Anfarwol, que combina música folk galesa e chinesa para contar a história da vida do poeta Li Bai, da Dinastia Tang, álbum este que ganhou o prêmio de melhor álbum galês na edição de 2014 de National Eisteddfod, evento do País de Gales, e foi indicado para o Prêmio de Música Galesa de 2014. A faixa “Little Wonder”, no álbum de Jamie Woon, indicado ao Mercury, intitulado Making Time (2016), foi inspirado no tempo em que passou na China durante a residência.